Lucas & Carol – Epílogo

Chegamos ao final de Lucas & Carol, dá pra acreditar?
Comecei a escrever despretenciosamente e gostei tanto do que tinha (um capítulo com menos de 400 palavras) que resolvi mostrar para o mundo e ganhei leitores fiéis e lindos, que torceram por Lucas e Carol, brigaram comigo por torturar personagem e leitor e questionaram diversas vezes “cadê o capítulo???”, se eu deixava de aparecer por um dia ou mais.
Foi arriscado – começar a escrever e, mais que isso, continuar escrevendo – mas eu me comprometi e cumpri.

Veja bem, Carol é a personagem mais parecida comigo que já escrevi até hoje. Os medos e incertezas dela são meus medos e incertezas, e a chatice dela é minha chatice. E eu espero conseguir superar minhas inseguranças como Carol vai conseguindo, passo a passo. E, também, acho que muita gente que leu esse pequeno romance, em algum ponto, se sentiu meio Lucas, meio Carol. Porque se não, qual o ponto em escrever, não?

Espero que vocês tenham amado essa pequena história e seu desfecho tanto quanto eu amo. E obrigada mais uma vez pelo apoio e comentários.

Stay awesome.

————————–

DIA 41

Como pode tudo mudar em um segundo, nem pensar.
Não vou voltar atrás, agora é assim que vai ser.”
Charlie Brown Jr.

Ela fica na sala da república onde mora em Rio Preto lendo um livro da modalidade literária que escolhera (italiano). É domingo, e vez ou outra ela ergue os olhos para o reprise da final do Carioca de vôlei (RJX contra Volta Redonda, é claro), para checar como foi o jogo do dia anterior.

Já tinha duas semanas que ela deixara para trás uma das melhores e mais intensas experiências de sua existência, deixado para trás o – literalmente – cara que pedia a Deus desde os quinze anos. Ela tem certeza absoluta que decidir ir embora abriu portas para o maior “e se” de sua vida.

“E se” ela largasse tudo e fosse para o Rio com ele? Ia dar certo?

“E se” ele largasse tudo para ficar com ela? Ele tomaria essa decisão?

Porque de uma coisa ela tem certeza: viver separados seria difícil de mais. Ele viaja muito e tem mulher bonita dando em cima dele por toda parte do país. A competição é muito alta e outra coisa é certa: ela não é nenhuma Emma Watson, seria impossível concorrer com cariocas bronzeadas de corpo invejável.

Sua mente está tão fora do corpo que só depois de um tempo percebe que uma das meninas a está chamando, algo com ela ter que atender o portão.

Ela vai. Ainda distraída, atravessa o corredor e abre o portão certa de que vai deparar com o carteiro, sem nem se dar conta que é domingo (!), e, ao invés disso, se depara com a figura de quase dois metros de altura de Lucas Giani parado na calçada. Ele parece nervoso e ela está mais que surpresa.

Carol olha para os dois lados da rua e atrás dele em busca de câmeras, mas é só Lucas e seu carro alugado no bairro universitário de trânsito calmo.

– Como você me achou? – ela consegue dizer, se aproximando alguns passos.

– Peguei teu endereço com a Carla.

Ela aquiesce.

– Podia ter pedido direto para mim.

– Ia estragar a surpresa. – eles já estão a apenas um passo de distância. – Não vai perguntar o que vim fazer aqui?

– O qu… – ela começa imediatamente, mas ele pousa dois dedos delicadamente nos lábios dela, calando-a.

Eles apenas se olham por alguns instantes. Em silêncio, Lucas se inclina e beija o canto direito da boca dela. Em seguida, ele a beija entre a mandíbula e o pescoço do lado esquerdo. Por último, ela, que sabe o que ele está fazendo, fecha os olhos e ele beija-lhe a pálpebra direita.

E por ser muito mais alto que ela, ele a pega pela cintura com um braço e a ergue, mantendo o corpo junto do dela.
Ela olha bem nos olhos dele, inclina a cabeça e beija-lhe o canto direito da boca; devagar, ela vira e beija-lhe a mandíbula. E, finalmente, ele fecha os olhos e ela lhe beija a pálpebra direita.

Eles se olham nos olhos mais uma vez e sorrindo se beijam.

——————————–

Eis o que acontece com Lucas & Carol: no Dia 16, Carol implora para Lucas só voltar para a vida dela se ele realmente quiser. Dessa forma, ela tem certeza que ele gosta dela. Ela implora para ele ser verdadeiro, porque dia após dia ela se expõe – suas belezas e suas feiuras – para deixar bem claro com quem ele está.
No fim daqueles 27 dias juntos, ela vai embora sim, porque é o que ela tem que fazer. O que eles tiveram foi intenso de mais e precisava de tempo para fazer sentido na cabeça deles.
Veja bem, Lucas sabe muito bem como a Carol é, porque ela deixa isso claro. Ele conhece os pensamentos dela sobre ele, porque ela é, além de tudo, fã dele. E ele sabe que o que acontecer dali em diante depende exclusivamente dele. Por que sim, ela poderia voltar, largar tudo. Mas ele é ~rycoh~, estabelecido e, ao contrário dela, não tem nada a perder. E se caso eles não dessem certo ou ele não estivesse 100% envolvido no relacionamento que tivessem, ela seria prejudicada.
Quando ele decide, convicto, ir atrás dela e aparecer em sua porta, é como se dissesse “Não importa, não vou deixar você perder tudo. Eu quero estar em sua vida.” É como se ele desse alicerce para ela.
Em algum tempo, Carol consegue transferir para o Rio de Janeiro. E, como ela previra, ele é chamado para representar o Brasil na seleção adulta.

E não dá pra dizer se eles vivem felizes para sempre, porque isso é coisa de conto de fadas e Carol nunca acreditou neles. Mas Carol era sim, fã de uma recontagem muito inteligente chamada “Para Sempre Cinderela” que quoto aqui.
O importante é que eles vivem.

——————————

Para Lauriane e Nathane.

Advertisements

7 responses to “Lucas & Carol – Epílogo

  1. NHOMNHOMNHOMNHOMNHOMNHOM é a melhor forma de eu conseguir me expressas neste momento… AI MEU DEUS, L&C <333333

  2. EU TÔ GRITANDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO MDS GENTE CABÔ EU VOU CHORAR E O LUCAS FOI ATRÁS DELA E GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE SOCORRO LDANVSKADJRVBFUEAFDSIAVNSDUHNMFGBVUESK MDS QUE LINDO

  3. Li ontem, mas só pude/tive o que comentar hoje. Primeiro, o lucas É um cavaleiro de armadura branca, logo, isso é um conto de fadas. Segundo, a Carol merece, mesmo que eu tenha sido contra as verdades absolutas dela, é tudo compreensível, e cheguei a conclusão de que ela merece e que ele chegou quase atrasado na vida dela. Terceiro, eu amo a sua escrita e estava morrendo de saudades. Gosto muito dessa “desordem de pensamento”, como se fossem memórias [Leite Derramado do Chico Buarque, By, please, leia! Tem em inglês, kkkk], e desse foco nos diálogos importantes, sem se perder em descrições. Não pare. Você podia começar outro projeto como esse hein? Mil beijos!

  4. AAAAAAAAAAAMEI, AMEI, AMEI. Nunca tinha lido um história como essa, By parabéns pela criatividade e por se entregar tanto a essa história. Gostei muito de ver duas pessoas tão frágeis e “humanas” se envolverem de forma tão profunda. Enfim, novamente parabéns! Beijoos!

  5. Enrolei quase uma semana pra ler, tentando me acostumar com a ideia pra chegar aqui e não chorar. Não funcionou, By. Quando eu percebi o que ele estava fazendo, quando percebi que ele prestou atenção o bastante pra decorar o que eles fazem (e não só assistiu por causa dela), eu chorei. Eu me vi no Lucas, eu me vi na Carol, então seu trabalho aqui está feito. Gostei muito de te ver escrevendo de novo, menina. Até breve (espero eu).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s